segunda-feira, 30 de abril de 2012

Grupo JoCC – um momento especial



Amigos, amigas.
Durante esse dia frio de uma segunda-feira véspera de feriado, vários pensamentos, angustias e reflexões vieram em minha mente. Creio que, o tempo nublado, nebuloso e acinzentado me deu uma impressão de véspera, de várias perguntas e reflexões, como se o tempo fechado não me deixasse ver a luz que se esconde por trás dele. Enfim, pensamentos e mais pensamentos me acompanharam.
Neste fim de semana, vivemos momentos muito especiais, e especialmente também este mês que termina vivemos muitas experiências e me senti no dever de compartilhar estes momentos e o que tudo isso me trouxe a tona.
Primeiramente para compor este texto fiquei pensando, revirando fotos, vídeos, textos, momentos vividos por este grupo que especialmente neste mês de abril passado viveu sua 4ª primavera. Muitos neste mesmo mês viveram um momento de confirmação de seus votos batismais, momento importante para o cristão como a confirmação do compromisso com o Cristo libertador e salvador.

Nesse momento, muito me marca uma passagem onde Lucas cita um momento muito importante ocorrido após a morte de Cristo.
E eis que no mesmo dia iam dois deles para uma aldeia, que distava de Jerusalém sessenta estádios, cujo nome era Emaús. E iam falando entre si de tudo aquilo que havia sucedido. E aconteceu que, indo eles falando entre si, e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus se aproximou, e ia com eles. Mas os olhos deles estavam como que fechados, para que o não conhecesse.” (Lucas 24:13-16)
O caminho que percorremos geralmente é bem mais importante que o destino onde queremos chegar. Tal caminho nos forma, revigora, nos fortalece. Cada terreno onde passamos deixa marcas, boas e ruins, e também nossos pés deixam marcas nesse solo, que mesmo com o vento e com a chuva, de uma forma ou de outra estarão lá e farão com que esse chão não seja mais o mesmo de antes.
Em uma caminhada de quatro anos, convivemos com diversas pessoas. Diversos “pés” que deixaram marcas, boas e ruins também em nosso solo chamado coração. Cada solo também deixou marcas nesses pés, pois muitos voltam e seguem caminhando conosco.
Em Emaús, os homens caminhavam e conversavam, até que um homem qualquer se aproximou e se pôs a caminhar com eles. O homem qualquer os questionava, os instigava a falar sobre um tal Galileu que havia morrido a poucos dias. O homem andou e comeu com eles, foi aí que os olhos se abriram para o Cristo que caminha com eles.
Em muitos vezes temos Cristo ao nosso lado, caminhando conosco, estando ao nosso lado. O Cristo missionário, o Cristo que se põe ao lado na caminhada.
Essa caminhada amigos, estamos construindo a 4 anos, criando raízes, construindo fé. Nesse momento vivemos muitos momentos especiais, momentos que não queríamos estar vivendo e outros que jamais saíram de nosso coração.
Como disse no começo desse texto, vivemos momentos muito felizes nesse último fim de semana. Fizemos memória dos diversos momentos que nosso grupo tem vivido. Momentos de alegria, de espiritualidade, momentos de felicidade, tristeza também, porém momentos em que sempre vivemos unidos.
Conduzidos por uma freira - que em muitos momentos sinceramente nos tirava a paciência, porém que amamos demais - chegamos onde estamos hoje, vivemos o que vivemos, nos transformamos, nos fortalecemos e nos unimos, sempre confiantes nesse Cristo e também unidos pela fé.
Em diversos momentos pensamos em desistir, pensamos em parar no meio do caminho e dizer “chega”, “não dá”... em muitos momentos pensamos, “hoje não vou”, “tá cedo”... isso todos nós pensamos. Porém, caminhando e olhando ao nosso lado um Cristo que caminha conosco nas lutas diárias, isso nos faz abrir nossos olhos para o sagrado, para aquele “partir o pão” que para nós é essencial.
Em cada momento dessa breve caminhada percorrida, muitos amigos eu fiz e venho fazendo, amigos que são eternos. Mas nada me dá mais felicidade de ver essa família cada vez mais forte, mais unida com o Cristo e pelo Cristo.
Finalizo esse texto com um texto extraído da Canção Nova:
E quem tem sede, e sabe que a tem, mas nada faz, continua sedento. Por outro lado, quem tem sede do Senhor e pede essa graça, com total confiança em Deus, em vez de um copo, a vida o saciará com uma fonte, que jamais vai cessar de jorrar de seu interior. Ricardo Sá Canção Nova

Um vídeo que significa bastante o que vivemos nesse último fim de semana:

video

Para conhecer mais momentos desse grupo acesse nosso álbum de fotos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário